segunda-feira, 31 de dezembro de 2012

“Supere isso e, se não puder superar, supere ao menos o vício de falar a respeito”.


Nunca gostei de lamurias... A vida é assim mesmo! Cheia de altos e baixos. Às vezes com mais baixos do que queríamos, mas, ainda assim tudo é válido! Tudo é experiência! Tudo é aprendizado!
Seria muito bom que os ensaios pudessem antepor nossas vidas. Que pudéssemos ter o poder de editarmos cada situação difícil; de “deletarmos” tudo o que foi ruim; ou de adivinharmos o futuro. Mas, Deus nos fez assim, passíveis de erros e acertos, o que nos torna humanos!

Encerramos um ciclo hoje e outro começara amanhã!  Já está na hora de virar o disco e olhar para frente! Afinal a vida é muito linda para deixar de ser vivida! Feliz 2013!

 

quarta-feira, 19 de dezembro de 2012

Na política não existe amizades, existe conveniências.

Ingênuos são os que pensam que existe amizade sincera no mundo da política. Logicamente toda a regra tem lá suas exceções, mas ainda assim, os últimos acontecimentos acabaram por me convencer, se ainda tivesse dúvidas, de que, em política, os valores agregados à amizade ocupam o terceiro plano. No geral, ninguém é verdadeiramente amigo de  ninguém, a não ser que lhe convenha.
A amizade no meio político é sempre circunstancial e temporária, motivada por interesses, ou seja, funciona como um cata-vento, mudando de direção conforme as correntes de ar. E para tal tudo é válido, incluindo a mentira, a falsidade, a deslealdade, a traição. Os amigos são temporários, descartáveis, se já não são convenientes.
Para constatarmos este feito, basta tão somente olhar para os lados! Não se admire ao deparar com alguém falando mal de quem sempre apoiou, defendeu ao ponto de colocar em risco amizades verdadeiras, relacionamentos familiares e até profissionais. Certamente ele deve ter sido substituído por outro mais útil!
O fato é que a atmosfera do poder, se não torna a amizade impossível, por certo cria climas muito desagradáveis. Amigos exigem muito (atenção, consideração, compreensão) e tais expectativas são perfeitamente justas e adequadas, no contexto social, mas no contexto política que, em sua lógica própria não as reconhece, tornam-se politicamente onerosas.
Por estas razões, amigos de quem detém o poder estão sempre "à beira da decepção", sempre na iminência do rompimento da amizade.
É que na lógica da política, após uma eleição, o gestor público, passa a ser o governante de todos: dos que o apoiaram e dos que se opuseram. Com essa autoridade, pode convidar ex-adversários para integrar sua administração. Afinal, a adesão de um adversário sempre significa um enfraquecimento do bloco de oposição, senão quantitativo, por certo qualitativo. Aos olhos do povo, o apoio de um adversário, valerá muito mais do que o mesmo apoio de um aliado fiel.
Sem contar que os novos amigos serão infinitamente mais pacientes e compreensivos que os antigos amigos. Diferentemente destes, os inimigos não podem se dar ao luxo de ficar “à beira da decepção”.
Concluindo no mundo da política, inimigos são mais úteis que os amigos.

segunda-feira, 10 de dezembro de 2012

“Chegado” - O encarregado do jeitinho brasileiro.


Quem nunca ouviu falar do indivíduo? Ou melhor, quem não tem um “Chegado”?! Ora, o Chegado é o “herói” das massas e é encontrado em todas as repartições, sejam públicas e privadas, sem distinção! Temos o Chegado que tira multas, tem o Chegado que passa processos à frente, tem o Chegado que vota favorável, tem o Chegado que agenda a consulta na frente, tem o Chegado que arruma vagas nas escolas, enfim, para todo o tipo de maracutaia, mesmos as mais inocentes (se é que isto seja possível),  existe um Chegado para fazer o serviço.
A prática é comum e acontece nas melhores famílias. Ora, você mesmo que está lendo essa crônica se puxar bem pela memória, poderá constatar que algum dia em sua vida apelou a um “Chegado”! É que ás vezes ele usa alguns codinomes como: Conhecido, Contato, Influente.
Quando acionamos o camaradinha, certamente é porque queremos algo que foge aos métodos convencionais, normalmente morosos, enfadonhos. Ora, o Chegado tem lá seus meios (o que também não me interessa. Problema dele uai!) de conseguir mais rápido, com 100% de garantia de sucesso e sem nenhum esforço meu (um telefonema, um email, e até uma piscadela já é suficiente para o Chegado captar a mensagem).
O problema de tudo isto é que o Chegado também tem um “Chegado”, que também tem um Chegado, até chegarmos ao “Chegado-mor”, aquele que mantém a cadeia, que dá as ordens, que delega poderes, que manda e desmanda. E nós o criticamos pelos seus atos escusos, apontamos o dedo, sem darmos conta de que ao ligarmos para o primeiro Chegado da cadeia acionamos a máquina da corrupção e juntos aos demais colocamos o dedo no gatilho!
Pior que condenar os atos dos corruptos é ser hipócrita, não limpar as próprias janelas! Quer mudar o mundo, que tal então começar por si mesmo!

sábado, 8 de dezembro de 2012

"Velha patusca, gorda e cheia de varizes" ! Será que você também é uma?

Entendo como sendo pior lidar com o Machismo Feminino que com o machismo feminino. Há mulheres que infelizmente depreciam a imagem da mulher e são contrárias a qualquer movimento intitulado como femininimo. Seja em família, na roda de amigos, em comentários que fazem a respeito de determinadas situações ou até mesmo quando evidenciam um certo desprezo pelas lutas que poderiam fazer valer muitos direitos a elas e a todas nós, pois muitas delas acham que o feminismo é uma luta ultrapassada, ou coisa de quem não tem o que fazerLi uma  crônica  da colunista Cynara Menezes muito interessante que  retrata muito bem esta cituação:
                                                     A mulher Machista
O escritor Nelson Rodrigues tinha uma vizinha velha, gorda, patusca e cheia de varizes que era a maior inimiga da revolução feminista. À janela ou sentada em sua cadeira dobrável na calçada, cismava com as jovens mulheres em mutação. A dona-de-casa que arranjava emprego fora? Imoral. A mocinha que ia à praia pela primeira vez com um maiô duas peças? Indecente. A odalisca que mostrava o umbigo no carnaval? Ah, essa aí então é melhor nem comentar.
Pois eu pensava que a vizinha gorda e cheia de varizes do Nelson Rodrigues tinha morrido. Que nada! Um outro vizinho do anjo pornográfico, também jornalista, achou que a patusca levava jeito para as letras. E não é que a velha virou colunista de jornal? Entusiasmada com a vida nova, deu uma guaribada no visual, esticou a cara e fez lipoaspiração. Parou até de andar com as pernas envoltas em gaze para disfarçar as veias inchadas, corrigidas na mesa de cirurgia.
A vizinha de Nelson, porém, continua cheia de varizes –na alma. A chegada de uma mulher à presidência da República deixou-a furibunda. “Que espeto!” Segundo ela, todo mundo está careca de saber que a mulher pode até ser igual ao homem em algumas profissões, mas jamais na vida pública. Homens são profissionais da política; mulheres são amadoras, diz a vizinha patusca. A mulher por natureza é frágil, e sempre vai precisar do auxílio do homem, vaticina a velha gorda e varicosa. Além do mais, considerou que não havia nenhum sentido em celebrações. “Como assim primeira mulher no comando? Esqueceram da Princesa Isabel?”
Cada ministra escolhida pela presidenta mereceu um muxoxo da vizinha de Nelson Rodrigues. Miriam Belchior? “Machona que nem a Dilma”. Maria do Rosário? “Falta pulso”. Luiza Bairros? “Só foi escolhida porque é negra”. Iriny Lopes? “Irrelevante”. Ana de Hollanda? “Ah, se não fosse irmã de Chico…” Gleisi Hoffmann? “Bonita, parece uma normalista. Ou a Barbie”. Ideli Salvatti? “Histérica e descompensada”. E para que, afinal, colocar tanta mulher no ministério, se homens são infinitamente melhor preparados? “Até por ser uma representante legítima do gênero”, disfarçou a matrona, “torço para que dê certo, mas acreditar, eu não acredito”.
A vizinha gorda e cheia de varizes de Nelson Rodrigues não quer nem saber do que aconteceu no Chile, onde a presidente Michelle Bachelet governou o país com metade dos ministros do sexo feminino, além de 15 subsecretárias de Estado mulheres. Bachelet terminou seu mandato com 70% da aprovação dos chilenos e só não foi reeleita porque não existe reeleição por lá. “Mas não fez o sucessor”, desdenha a patusca. Bem a propósito, a única similar chilena da velha gorda e cheia de varizes de Nelson veio para o Brasil para se casar com um político da elite paulista.
A velha patusca também não é mais viúva. Casou-se com um colega de jornal, colunista que nem ela, o Políbio Pompeu, senhor de sobrancelhas ásperas e eriçadas como as cerdas bravas do javali e que cultiva um enorme cravo negro nas dobras do pescoço. Pompeu adora dizer, a propósito da presidenta, que “as mulheres descasadas são seres infelizes”, ao que a vizinha gorda e cheia de varizes de Nelson Rodrigues bate na perna, dá uma gargalhada e comenta: “Batata!”
A vizinha de Nelson passou pelo feminismo, mas entendeu tudo errado. Deixou de cuidar da casa, entregou os filhos a uma babá e se orgulha de não saber fritar um ovo. Mas, embora trabalhe no mesmo jornal e praticamente na mesma função que Políbio, seu salário é 20% menor do que o marido, o que ambos consideram perfeitamente natural. A velha patusca, gorda e cheia de varizes acha que o homem merece mesmo ganhar melhor do que a mulher, porque é mais racional e menos emotivo. Sem falar que não tem TPM.
 

quinta-feira, 29 de novembro de 2012

Jogo de empurra entre Hospital margarida e PA deveria ser caso de Ministério Público!

Retrato do excesso de burocrácia e  má administração.  
Aliás, já passou da hora do Ministério público intervir nesta barbárie promovida pela burocracia instituída entre PA e Hospital Margarida. Ambos lidam com seres humanos, porém os tratam com muito descaso, desrespeito e omissão de socorro.
A falta de unificação entre os postos de atendimento de saúde em Monlevade é responsável por uma espécie de leilão de pacientes, onde prevalece a lei do dinheiro. De um lado o Hospital Margarida que só atende ao sistema público de saúde nas urgências e emergências, do outro um PA sucateado, sem garantia de atendimento e no meio, os pacientes, que são jogados de um lado para o outro como se fossem mercadorias, peregrinando entre um e outro.

Ontem, meu filho apresentou um quadro de apendicite. Precavidamente, liguei para o PA para saber da existência de um Pediatra. Diante da situação a atendente orientou-me a seguir direto ao Pronto Atendimento do Margarida para que o mesmo fosse submetido a uma triagem (situação onde os profissionais de saúde tem que escolher qual o paciente que irá ser atendido em primeiro lugar).
Ao chegar ao Hospital Margarida meu filho passou pela triagem no posto de atendimento, mas fui alertada pela enfermeira da possibilidade de ter que retornar ao PA para que o Pediatra plantonista do PA pudesse dar continuidade ao procedimento.

Naquele momento questionei a enfermeira duas situações: A primeira, da existência de um plantonista no Hospital Margarida, e a resposta afirmativa da enfermeira é que o Pediatra Dr. Rosenir estava de plantão. E a segunda era a existência de um pediatra no PA, a resposta foi enfática: “Acabei de ligar para lá, o PA tem Pediatra, o médico daqui não pode atender, você tem que ir para lá”!  
O curioso de tudo é que quando cheguei ao PA não havia Pediatra! O mesmo estaria vindo de Itabira para atender às crianças que aguardavam por atendimento pela tarde toda e dentre elas, uma criança desidratada com guia de internação expedida por um médico.

Indignada com a situação comecei a abordar vários pacientes e pasmem: Este jogo de empurra-empurra já vem acontecendo há muito tempo! Os pacientes são tratados como se tivessem um sistema de teletransporte que os levassem de um local para outro num passe de mágica!  E nesta premissa, pouco importa se há alguém necessitando de um socorro, o que vale é a determinação dos superiores: “O Hospital parece estar em guerra com PA! A gente chega lá porque aqui não tem médico e eles (funcionários do Hospital) mandam a gente voltar para cá, como se tivéssemos muito dinheiro para pagarmos passagem! Onde eu moro, lá no Bairro Santa Cecília, o posto não funciona, nunca tem médico e somos tratados como cachorro”, declarou uma mãe que aguardava há mais de 5 horas por um pediatra.
Segundo uma funcionária da Secretaria de Saúde, que preferiu não ser identificada por temer represálias, médicos e enfermeiras que atuam no PA estariam negligenciando atendimentos: “Pode escrever aí mesmo, porque é um absurdo o que eles fazem com a população! Nem polícia resolve mais! Médicos e enfermeiras ficam aqui dentro, andando de um lado para o outro sem fazer nada, enquanto a sala de espera está lotada de pessoas aguardando pelo atendimento, eles podem até me demitir , mas não vou me calar ! Estou aqui há mais de 3 horas aguardando por atendimento e ninguém faz nada”, disparou.

Resumindo, o que vale no atendimento à saúde é a Lei do Dinheiro! Tem dinheiro para pagar plano de saúde ou particular? Então as suas chances de ser atendido são grandes!
Não tem? Prepara-se para uma maratona de peregrinação entre um atendimento e outro! Morreu? Que pena! Você é apenas um dado estatístico! Isto é Monlevade, isto é o Brasil!

 

sábado, 24 de novembro de 2012

Dia 25 de Novembro- Dia Internacional da Não Violência contra a Mulher .

Você sabia que 11% das brasileiras com 15 anos ou mais já foram vítimas de espancamento? Sabia também que o marido ou companheiro é responsável por 56% desses casos de violência? Esses dados são de uma pesquisa da Fundação Perseu Abramo. O levantamento aponta que uma em cada cinco mulheres foram agredidas pelo menos uma vez e mais da metade das vítimas não procura ajuda. O combate à violência contra a mulher tem apresentado recentes avanços. Por parte do governo, algumas importantes medidas já foram tomadas.
                                                
  O Dia Internacional da Não Violência contra a Mulher foi instituído em 1999 pela ONU e é celebrado em todo o mundo a cada 25 de novembro. A data foi escolhida para homenagear as irmãs Mirabal (Pátria, Minerva e Maria Teresa), assassinadas pela ditadura Trujillo na República Dominicana. Desde então, inúmeros países realizam eventos para lembrar que, diariamente, meninas, jovens e adultas são vítimas de toda sorte de violência.
No Brasil, os casos se multiplicam, como demonstram alguns dados dos 561.298 atendimentos realizados pela Central de Atendimento às Mulheres (Ligue 180) entre janeiro e setembro de 2012. Desse total, 68.396 foram denúncias de violência, majoritariamente física (38.535). É importante salientar que 27.638 mulheres relataram sofrê-la diariamente, e 19.723 se perceberam em risco de morte. Em 25.329 dos casos, os filhos presenciaram ataques à mãe.
A mídia noticia atos dessa natureza quase diariamente, destacando aqueles que, por sua brutalidade, chocaram a opinião pública. O caso do goleiro Bruno, com início de julgamento previsto para amanhã, é emblemático.
Outra face perversa desse quadro é a violência sexual, que revela o complexo contexto de poder que marca as relações sociais entre os sexos. São casos de estupro, tentativa de estupro, atentado violento ao pudor, sedução, atos obscenos e assédio, que podem ocorrer conjugados com lesão corporal, tentativa de homicídio, maus-tratos e ameaças.
A violência nas relações de gênero, particularmente, a sexual, pode gerar diversos problemas de saúde física, reprodutiva e mental, e, portanto, acarretar mais busca pelos serviços de saúde. Esses, sobretudo os pronto-socorros, são os mais procurados. Eles têm de perceber (reconhecer) a violência sofrida pela mulher, dando credibilidade a uma queixa, e romper com uma recorrente prática de medicalizar os eventos.
Na maioria das vezes, essas mulheres apresentam problemas que não se reduzem às consequências imediatas dos atos vivenciados, mas apresentam interfaces que precisam contar com o aporte interdisciplinar, como as cicatrizes deixadas na vida sexual, afetiva, social, profissional.
Os dados sobre violência sexual mostram que não há distinção entre classes, segmentos sociais e cor/etnia. O tratamento dado socialmente a tais crimes, em particular os estupros, oscila entre considerá-los hediondos, principalmente quando praticados contra crianças, ou fatos banais, comuns. Pode-se afirmar que a visão sobre eles ainda está intimamente vinculada à imagem que se faz da vítima, de seu comportamento e moralidade.
A Lei Maria da Penha, considerada uma das mais avançadas do mundo, é importante instrumento no enfrentamento dessa situação. Seu caráter pedagógico contribui para uma mudança de mentalidade das pessoas, fazendo com que a violência seja cada vez menos tolerada pela sociedade.
A Secretaria de Políticas para as Mulheres da Presidência da República, visando a que essa lei seja efetivamente conhecida e implementada, lançou, no início de agosto, a campanha Compromisso e atitude — a lei é mais forte. Ela foi dirigida inicialmente às autoridades judiciais, a fim de garantir agilidade na prisão de agressores e na tramitação de processos e julgamentos.
Mas, acabar com a violência contra as mulheres exige muito mais. Exige envolver e mobilizar toda a sociedade, para que ninguém assista passivamente a casos ou relatos de agressões. Por isso é que a campanha entra agora em sua segunda fase, que é a de mobilização da sociedade.
A partir de 25 de novembro, Dia internacional da não violência contra a mulher — com o mote “Violência contra a mulher: você pode combater a impunidade. Ligue 180” —, faremos ampla mobilização de empresas, órgãos governamentais, organizações da sociedade civil e mídia, para mostrar à população a necessidade de se ter compromisso e atitude diante desse quadro brutal. Só assim, a lei, de fato, será mais forte — com a punição de quem a desrespeitar.
Eleonora Menicucci - Ministra de Estado Chefe da Secretaria de Políticas para as Mulheres da Presidência da República
Acesse em pdf: Todos pela não violência contra a mulher, por Eleonora Menicucci (Correio Braziliense - 18/11/2012)


 

quinta-feira, 22 de novembro de 2012

Pelo visto, decorações natalinas só nas cidades vizinhas!

Há rumores que não haverá decoração de natal na cidade de João Monlevade. Segundo fontes, o nosso prefeito, Gustavo Prandini (PV), para fechar sua administração com “chave de ouro”, não pretende realizar nenhum investimento em festejos e decoração de Natal em João Monlevade. A meu ver, uma situação que poderia ser revertida com um empenho maior do CDL e empresários da nossa cidade, afinal, o Natal é um momento de agradecer e cativar o cliente para o próximo ano. Uma cidade enfeitada impulsiona o comércio. Os clientes sentem motivados a comprar, sem contar que a criançada gosta. Vários municípios, para driblarem situações como esta, estão se mobilizando para enfeitar as ruas próximas as suas lojas. Existem cidades onde as associações comerciais estão promovendo Concurso de Decoração de Fachadas e Vitrines, com premiação em dinheiro aos associados que decorarem suas empresas nesta época natalina. Sei também que não é todo mundo que gosta do natal. O Grinch, este monstrinho verde, feio e peludo, por exemplo, odeia o natal e todo o clima feliz das festas natalinas! Mas, daí deixá-los sabotar o natal da gente são outros quinhentos!

quarta-feira, 14 de novembro de 2012

Crescem os números de casos de AIDS entre jovens e mulheres Monlevadenses.

Segundo informação de um agente de saúde de João Monlevade, vários casos de Aids no município são diagnosticados como uma doença infecciosa qualquer a pedido dos pacientes e dos familiares, que temem pelo preconceito. O aumento dos casos se dá principalmente entre mulheres e jovens entre 13 e 19 anos, que, segundo a fonte, é justificado pelo abuso do álcool entre os jovens, o que favorece a disseminação da Aids. "Com o excesso de bebidas alcoólicas o jovem tende a não usar camisinha e a atitude de 'ficar', que é a relação sem compromisso, também faz com que o jovem dispense o preservativo. Monlevade está lotada de universitários que promovem festas particulares regadas à bebida e sexo e as autoridades não atentam para fato”. disparou.

País tem quase 100 novos casos de Aids por dia

Apesar de o Ministério da Saúde comemorar a estabilidade da Aids no Brasil, a doença está longe de ser um problema superado. São 35 mil novos casos por ano, ou quase 100 novas infecções por dia.
A mortalidade resultante da doença também diminuiu bastante nos últimos anos, mas ainda é expressiva: são 11 mil mortes por ano, em média.
Pesquisas apontam que o medo do preconceito e a discriminação contra as pessoas vivendo com HIV/AIDS são as maiores barreiras no combate à epidemia, ao adequado apoio, à assistência e ao tratamento da Aids e ao seu diagnóstico.

 
 

sexta-feira, 9 de novembro de 2012

Secretaria Estadual de Educação investiga a Escola Estadual Alberto Pereira Lima

A chegada de novos livros didáticos chegou a ser questionada pelo
Grupo Alberto Democrática, mas segundo Gabriel , a mesma já
 era aguardada pela escola.   Foto: Gabriel Hennry
 
Segundo informações de alunos que compõem o  Grupo Alberto Pereira Lima Democrática, funcionários da Secretaria de Estado de Educação estiveram nesta quinta-feira, 8, na escola visando apurar as denúncias dos alunos em relação à conduta da diretora Maria Aparecida de Souza.

Segundo os alunos, ao chegarem à escola, os funcionários da SSE, encontraram os documentos trancados, tendo então, solicitado o comparecimento da diretora Maria Aparecida de Souza no local. Alguns estudantes, escolhidos aleatoriamente pelos responsáveis pela sindicância, foram questionados, além das vendas dos livros, sobre questões como aprendizado, merenda, limpeza e condições do laboratório de informática.

Professores que atuam na Alberto Pereira Lima também ficaram responsáveis por redigir um relatório individual expondo a situação da escola. O mesmo documento também será apresentado por alguns alunos que tem mais de 18 anos.

quinta-feira, 8 de novembro de 2012

Afinal, para que servem os conselhos municipais?

Generalizando, os conselhos municipais, formados por representantes da Prefeitura e da população têm como objetivo a formulação e a fiscalização das políticas públicas Estes, reúnem-se periodicamente a fim de definirem os planos de ação da cidade. Cada conselho atua de maneira diferente, de acordo com a realidade local e com a sua especificação. Dentre as suas atribuições inclui-se a defesa dos direitos dos cidadãos.

Porém, nas maiorias das cidades do nosso país houve a transformação dos conselhos municipais em estruturas burocráticas formais, subordinadas às rotinas administrativas das secretarias municipais, no sentido de responder aos processos de aprovação de contratos e prestação de contas exigidas nos convênios estabelecidos com os programas estaduais e federais. O que nos leva a crer que a escolha e nomeação de Conselheiros não garantem que os Conselhos Municipais realmente funcionem, ou, que sejam eficientes e eficazes como instrumentos de aperfeiçoamento da cidadania, que atuem como formuladores ou que pelo menos participem ativamente do processo de formação da agenda das políticas públicas.

Pois bem, tenho nos últimos dias, observado uma série de acontecimentos que envolvem os diversos Conselhos de nossa cidade: A questão do Hospital Margarida e do Pronto Atendimento (PA) - Conselho Municipal da Saúde; A questão do preço da passagem, dos trocadores de ônibus e da licitação dos Taxistas e mototaxistas e do trânsito - Conselho Municipal do transporte. Afinal, o que eles têm feito os Conselhos Municipais de Monlevade em relação aos problemas? E se fazem, porque não há divulgação? E se são impedidos de fazerem, porque não denunciam?

Acredito não ser possível, fazer assistência social sem que a sociedade participe, como acontece atualmente em João Monlevade.  Muitos conselhos Municipais da nossa cidade precisam urgentemente passar por uma reorganização.

segunda-feira, 5 de novembro de 2012

Não basta ser estupro, tem que ter " plateia "!


Uma fonte ligada à vítima de estupro, ocorrido no vale do sol no mês de Setembro deste ano, acaba de me relatar que a Justiça de Monlevade teria arquivado o caso por insuficiência de provas.
Ainda segundo a fonte, a polícia teria encontrado alguns de seus pertences em posse do autor e própria vítima teria o reconhecido, mas, como não houve testemunhas que provasse a violência moral não houve como expedir ordem de prisão para o meliante.
A discrepância das leis chega a ser cômica, se não fosse trágica. Em via de regra, o crime de estupro é praticado às escondidas, ou seja, a prova testemunhal, normalmente se dá pela palavra da vítima.
Ninguém em sã consciência mental se daria ao luxo de “inventar” um ato covarde deste ou que viesse a juízo cometer perjúrio, acusando um inocente de lhe haver constrangido à conjunção carnal ou a ato libidinoso outro qualquer.
Francamente, a cada dia fica mais difícil acreditar na justiça dos homens.

quinta-feira, 1 de novembro de 2012

Pau que bate em Chico, com Jeitinho, não bate no Francisco,

Quem afirma que a Justiça foi feita para todos vive num conto de fadas. No nosso País, e nossa cidade também não foge à regra, justiça é pros “fracos”! Afinal, nacionalizaram o “Jeitinho”! .
Para quem não o conhece, o Jeitinho Brasileiro, é um sujeito enfadonho, porém muito prático e eficiente! Virou uma espécie de super-herói, afinal, muitas pessoas resolvem seus problemas de uma maneira mais fácil e/ou mais rápida, não importando se, para isso, tenha sido necessário passar por cima de alguém ou de alguma regra estabelecida.

O Jeitinho sempre age à surdina e, na maioria das vezes, seus clientes vangloriam-se despudoradamente das vantagens conquistadas e das maneiras como elas foram obtidas, estabelecendo entre si uma espécie de ranking ou competição que considera a vantagem obtida e o custo na sua obtenção. E assim, quanto mais é solicitada a “mão” do Jeitinho, mais esperta esta pessoa será considerada e maior será seu status perante seus admiradores.

O fato é querendo ou não, o "Jeitinho" vai a cada dia, transformando-se num combustível para corrupção e a impunidade nos diversos níveis da sociedade e com o aval da própria sociedade.

Sendo assim, não se assuste se um dia sentir uma vontade tremenda de furar a fila do cinema ou parar na vaga dos deficientes, é a influência do Jeitinho. E, caso não consiga vencer o “assédio”, seu próximo passo será oferecer propinas para se livrar das penas!

O Jeitinho também tem acesso às melhores famílias. Alguns pais, inclusive, ensinam os filhos, ainda cedo, as vantagens de ter o Jeitinho brasileiro como comparsa. E assim, trocam amizades por empregos; jogam fora a confiança por motivos banais; destroem relacionamentos sem qualquer motivo; desrespeitam os outros gratuitamente e ferem as leis.
 Concluindo, diferente do que prega o senso comum, pau que bate em Chico, nem sempre bate em Francisco! Porque não há diferença entre políticos e povo.

A corrupção na verdade é não mais uma consequência de falta de valores em todas as relações sociais do que necessariamente uma falha num sistema legal de punições contra corruptos. Em suma, é algo que vem de casa mesmo.

 

terça-feira, 30 de outubro de 2012

E ainda querem construir outro hospital.

Acabo de ler no Bom Dia: Hospital Margarida perde R$126 mil por falhas em plantões
 http://www.cidademais.com.br/noticias/?id=36801
Cogitar a hipótese de se construir um “novo” hospital é brincar com a inteligência e a paciência da gente. Quase sempre somos “surpreendidos” com matérias negativas envolvendo o Hospital Margarida.  Construir o hospital é muito importante. E isso deve ser analisado sem paixões, interesses ou vaidades. Afinal, o que está em jogo é o futuro da saúde pública do município. Lidar com a esperança, a expectativa da população no que se diz respeito à saúde é muito sério!  Está na hora de dar um basta nesta “politicagem” que se instalou no Margarida.

Há tempos o Hospital margarida vem sendo tratado na base do quero, posso e mando, sem que nenhuma autoridade atente para o fato.

Agora, a pergunta que não quer calar é a seguinte: Adianta construir um novo hospital, se não há médicos para trabalhar?

segunda-feira, 29 de outubro de 2012

Presente de Grego na semana do servidor.

Segundo uma fonte ligada ao Sintramon, os agentes comunitários de saúde de João Monlevade no controle da dengue ficaram sem receber o adicional de insalubridade na última folha de pagamento, o que causou revolta, devido  a "surpresa" ter acontecido justamente na semana que comemora-se o dia do Servidor.
Vale ressaltar que as atividades desempenhadas pelo agente comunitário se dão em edificações de todo tipo como madeira, mistas e de alvenaria, com ou sem cercas, sem redes de esgoto, com água tratada ou não, recolhida em poços abertos ou fechados. Ficando exposto a vários agentes nocivos a saúde.

Ainda segundo informações, os agentes se reunirão hoje, pela manhã, para resolver a situação com a administração municipal.

quarta-feira, 24 de outubro de 2012

Suspeita de fraude nas Urnas Eletrônicas em João Monlevade


Uma fonte ligada à coligação Monlevade em Primeiro Lugar declarou haver indícios de fraude nas urnas eletrônicas utilizadas na eleição de 2012. Muitos candidatos, alegam ter ouvidos relatos de seus eleitores quanto ao não aparecimento da foto do candidato no ato de votar. Inclusive , houve candidatos a vereador que duvidaram do total de votos que tiveram, acreditando eles que foram lesados.Ainda segundo a fonte, a situação já está sendo averiguada.
 Controvérsias à parte, especialistas garantem que as urnas eletrônicas brasileiras possuem falhas de segurança que podem alterar os resultados das eleições.Segundo os especialistas, três seriam as formas de manipulação de resultados: Controle manual do teclado das urnas pelo mesários durante a chamada “seção do voto cantado”; a inserção de flash cards nas urnas 48 horas antes das eleições; e desvio de votos de candidatos no sistema de totalização de votos o que, segundo os denunciadores, dá às urnas eletrônicas total caráter de “caixa preta”. As queixas contra este problema surgem em todo país conforme a materia divulgada no site: http://www.fraudeurnaseletronicas.com.br/2012/10/fraudes-em-urnas-eletronicas-sao.html
 
Vale lembrar que , o Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais (TRE-MG) no dia das eleições em 07 Outubro/2012, necessitou substituir  39 urnas eletrônicas em todo o estado .Destes equipamentos, 12 estavam instalados em Belo Horizonte e 17 na Região Central do estado. Na Zona da Mata, foram cinco substituições, três no Vale do Rio Doce e três no Triângulo Mineiro. Porém não foi informado o motivo da substituição.
 
 

terça-feira, 23 de outubro de 2012

Escola E Alberto Pereira Lima deverá sofrer intervenção da SRE

Duas toneladas de livros foram vendidos para a Reciclagem,
inclusive livros novos que professores estavam utilizando em curso
Os Vices diretores da Escola Estadual Alberto Pereira Lima, Flávio Crisóstomo e Regina Perpétua estiveram reunidos com a SRE Nova Era/SEEMG (Superintendência Regional de Ensino de Nova Era) na manhã desta segunda-feira (22), buscando uma solução para os problemas instalados na referida Escola, dentre eles, a venda de duas toneladas de livros didáticos para um galpão de reciclagem efetuada pela a atual diretora Maria Aparecida Souza.

Maria Aparecida, que se encontra afastada desde a última quinta-feira (18), teria negado a venda do material didático. No entanto, após uma inspeção na escola, realizada pela Superitendência de Ensino,  ela teria caído em contradição e assumido a venda dos livros para o custeio de contas de telefone da escola. Momento em que a mesma foi alertada das consequências que seu ato poderia advir por estar contrariando o disposto no Decreto 45085/09.

Outra polêmica envolve a Escola E. Alberto Pereira Lima

Segundo relatos de alunos e professores, houve uma reunião do Colegiado, juntamente com a Inspetoria de Ensino, ocorrida no dia 04/10 na sede da EEAPM, onde a Diretora teria acusado os vice-diretores Flávio Crisóstomo e Regina Perpétua, de não estarem cumprindo suas atribuições. Fato que culminou no pedido de exoneração dos cargos de ambos.

Porém alunos e professores contestam a decisão do colegiado. Segundo os mesmos, a atitude foi arbitrária e não reflete o desejo da maioria da escola: “Flávio Crisóstomo e Regina Perpétua estão sempre presentes. Aqui não existe diálogo. Raramente a diretora Maria Aparecida de Souza direciona aos professores questões referentes à escola. Não fomos convidados a participar da reunião. Tomei conhecimento dos fatos através de terceiros”, declarou Ione Zélia Almeida professora de Matemática na escola há três anos. E complementou: “Sinto falta da diretora na sala dos professores, para discutirmos assuntos referentes à escola”.

Opinião parecida tem a professora de química e matemática, Jara Dea Ribeiro Santos: “Já fui vice-diretora da atual diretora e se quer tinha acesso à sala de direção. Normalmente, quando há reunião de Colegiado toda a escola é convocada. Novamente fomos surpreendidas pela falta de diálogo”, disparou Dea.

Para os alunos Lorena S Gomes, e Yuri Guilherme, ambos do 2º ano, os vices- diretores têm cumprido suas atribuições. “O Flávio é visto diariamente na escola, inclusive a organização, a evasão de alunos e até a disciplina melhorou muito depois que ele (Flávio) assumiu o posto na escola”, declararam.

Flávio Crisóstomo alega estar cumprindo as funções que lhes foram atribuídas, porém reclamada da dificuldade em ser atendido pela diretora: “Tenho cumprido meu papel na área disciplinar e levado as demandas à diretora Maria Aparecida Souza, mas a mesma ignora meus encaminhamentos. Foi injusta a decisão e, portanto pretendemos ir até a última instância”, concluiu.
A SRE Nova Era/SEEMG (Superintendência Regional de Ensino de Nova Era) deverá dar um parecer sobre o assunto na próxima sexta-feira, dia 26.

segunda-feira, 22 de outubro de 2012

Alunos realizam protesto contra suspeita de irregulares na Escola Estadual Alberto Pereira Lima

 
Através de uma Carta divulgada no Facebook, no Grupo Transparência,  alunos do terceiro ano da Escola Estadual Alberto Pereira Lima (EEAPL), organizaram-se num movimento denominado ALBERTO PEREIRA LIMA DEMOCRÁTICA, para  dar ciência  à população de várias irregularidades que vêm acontecendo dentro da referida escola. Dentre elas, a venda de 2000 (dois) mil livros, digo, quilos de livros- novos e usados – para um galpão de reciclagem.
Segundo os relatos de Gabriel Henrique  e Thomaz Romário, líderes do movimento, a venda dos livros foi confirmada pela própria diretora que alegou como motivo o custeio de contas de telefone da instituição de ensino.
Durante o movimento houve o relato  de alguns alunos sobre a situação, e, várias outras irregularidades foram apontadas, como a falta de diálogo entre a direção e os alunos, o uso de computadores por familiares da Diretora ( fato que foi fotografado por alunos) e a péssima qualidade da merenda: “Ficamos sabendo da doação de peito de frango para a nossa merenda, mas até hoje não vimos nada”, declarou uma aluna.

A biblioteca da escola que ocupava uma sala maior foi transferida para uma bem menor e
ainda assim, com prateleiras vazias.
Um fato amplamente relatado entre os alunos é a falta de diálogo entre os alunos e a direção da escola e um possível “complô” para a retirada do vice-diretor, Flávio Crisóstomo pela atual diretora: “A diretora nunca nos ouve, tivemos voz só no ato de elegê-la; e só votamos nela, por causa do Flávio”, desabafou uma aluna.  
Segundo Eric Andrian Fonseca, membro do colegiado e representantes dos alunos, houve recentemente uma reunião com a Inspetoria de Ensino de Nova Era com o objetivo de se apurar os fatos, onde a diretora Aparecida Souza teria acusado o vice-diretor de  não estar cumprindo devidamente suas funções:  “Procuramos o Flávio para averiguar as acusações já que o mesmo não estava presente, e ele (Flávio) além de se justificar nos tornou cientes do que verdadeiramente estava ocorrendo”, declarou Eric.

Procurei a Diretora da Escola, Aparecida Souza, porém recebi a informação de que a mesma está afastada  das atividades da escola desde a última quinta-feira e só deverá retornar ao final desta semana. Os vice-diretores Flávio Crisóstomo e Regina Perpetua agendaram uma reunião nesta manhã com a Superintendência de Nova Era para tentarem solucionar o problema.

Carta na íntegra:Os alunos do terceiro ano da Escola Estadual Alberto Pereira Lima (EEAPL) vêm através desta na pessoa do representante da turma 302 Thomaz Romário Albano pedir apoio ao movimento denominado ALBERTO PEREIRA LIMA DEMOCRÁTICA organizado a fim de pressionar as autoridades cabíveis para que sejam solucionados os seguintes fatos:
  • ITEM A - Venda irregular de livros didáticos – fato provado através de carta da superintendência regional de ensino onde se relata que a diretora vendeu os livros e ocultou tal fato... Em seguida apos apuração a mesma disse ter vendido os patrimônios a fim de custear contas de telefone.
  Parecer da comissão: 01 Em hipótese alguma um diretor de instituição publica pode vender patrimônios sem primeiro ter autorização oficial. 02 Para que seja paga a conta telefônica o governo já envia verba para tal fim. 03 não foi prestadas as devidas contas aos alunos sendo tal fato ocultado (os livros pertenciam os alunos, pois o governo envia os didáticos em quantidade exata em relação à listagem passada pela direção da escola a fim de que cada aluno o possua).
  • ITEM B - Trata-se de fato ainda não confirmado, pois não houve manifestação da superintendência ate a emissão desta – Breve: Os vice-diretores podem a qualquer momento deixar a direção da escola (SUSPEITA-SE QUE A SUPOSTA SAÍDA SEJA MOTIVADA POR INTERESSE POLITICO DA DIRETORA). O fato mencionado já foi votado e aprovado no colegiado (órgão este, de quem a comissão SUSPEITA ser diretamente influenciado pela diretora).
• No referido acima estamos aguardando a notificação oficial da superintendência de ensino para que seja decidida a postura dos alunos quanto o ocorrido.
  Estamos agindo de forma organizada e solicitando o apoio de instituições que vise à juventude como um todo, são elas: Pastoral da Juventude, Umes, Conselho de Juventude, entre outros. Também pedimos apoio a instituições que visem o combate à ”corrupção” são elas: blogs, sites, jornais, revistas entre outros.
  Podem parecer simples as nossas reivindicações, porem trata-se do ambiente escolar onde deveria ser exemplo a democracia em si e não o contrario.
  Quanto ao referido apoio somente pedimos que divulguem da forma possível os fatos (podemos disponibilizar os documentos dos quais temos acesso )... Às instituições pedimos que divulgue na hipótese do apoio uma nota à comunidade.
   Em nosso movimento jamais será aceito algum tipo de algazarra. Estamos sendo prudentes com as palavras por se tratar de algo que se confirmado caberá exoneração ou mesmo prisão... Justamente por tais fatos fizemos questão de destacar, por exemplo, quando se trata de suspeitas.
Contamos com apoio de professores e de demais turmas da instituição, não nos referimos a todos, mas sim a maioria.
Obrigado pela disponibilidade aguardamos resposta o mais breve.

sábado, 20 de outubro de 2012

OE, OE, OE, que nada! Eu prefiro o Chaves!


Particularmente não acho saudável ficar “prostrada” à TV para assistir novelas. Prefiro assistir ao “Chaves”, ou até mesmo jogar UNO com a meninada a dar crédito a novelas.
 
Calma aí! Nada contra a teledramaturgia brasileira, tão pouco aos seus telespectadores, porém quero ressaltar que há tempos as novelas deixaram de ser veículos de discussão, legitimação e crítica social. Hoje, o “passatempo”, tornou-se um veiculo destrutivo da moral e da decência.
 
Por exemplo, o “BUM” da Avenida Brasil? Até onde sei a trama da novela baseou-se no adultério, na banalização do sexo e na trapaça. Para assistir a tal, basta-me “abrir as janelas”!  
Infelizmente as novelas têm nos últimos anos introduzido em nossos lares um “apologismo” à indecência em todas as suas formas.  Sem mencionar, o empobrecimento intelectual da sociedade, onde o principal produto vendido aos expectadores (músicas, estilos) é oriundo do enredo.
 
Inegavelmente a TV, o cinema, assim como a própria imprensa influenciam a população, levando-a a tomar atitudes que antes reprovavam. Qual de nós nunca deparou com a “cópia” dos trejeitos e atitudes de figuras televisivas conhecidas no vestuário, linguagem, e até no modo de comportamento, das pessoas em nosso cotidiano?
 
Lógico que as opiniões se divergem, inclusive há quem refute alegando que as novelas, são simples e inocentes reflexos ou espelho da sociedade. Então quem terá razão? Pelo sim, pelo não, prefiro continuar com o Chaves!

 

quinta-feira, 18 de outubro de 2012

E ainda há quem compre!

Ontem resolvi fazer uma “visita” às estantes da Feira itinerante . Fiquei observando o comportamento das atendentes, algumas de nossa cidade, outras não. Fiquei analisando o que leva as pessoas a comprarem, preço?! Atendimento?!Sinceramente entrei e sai com a mesma dúvida! Não verifiquei nenhuma diferença “gritante” que justificasse a troca dos nossos produtos pelos deles!Pelo contrário, no quesito atendimento, valha-me Deus! Presenciei uma tremenda impaciência por parte de alguns vendedores. A meu ver, colocar empecilhos para atender as necessidades do cliente, ainda que o mesmo não venha efetuar nenhuma compra, certamente não é um comportamento que vai agregar valor ao seu empreendimento.

quarta-feira, 17 de outubro de 2012

Mãos fechadas e falta d’água


Fato: Poucos prefeitos João Monlevade investiram na ampliação e na melhoria dos sistemas de abastecimento de água ao longo dos anos.
Inegavelmente ficar sem água é terrível! Embora vários moradores estejam reclamando da falta  d'água em suas casas, o que parece ser um problema generalizado,  alguns bairros de João Monlevade sofrem uma falta crônica de água há décadas. Mesmo que não haja quebra de adutora, de bomba de poço ou qualquer outra situação imprevisível, há  sempre falta d’água.
O problema é na distribuição, na falta de investimentos ao longo dos anos. Entrou prefeito e saiu prefeito sem que houvesse a preocupação de “produzir” água o suficiente para atender a demanda. Sem contar que, há casas que se quer possuem um reservatório (caixa) com um mínimo de 200 litros/dia por pessoa na casa. Resumindo, fornecimento de água em Monlevade sempre andou na contramão do desenvolvimento.
E neste sentido tiro o chapéu para Gustavo Prandini pela coragem! Mesmo com todas as “mazelas” da administração de Gustavo Prandini, ninguém pode negar os investmentos que estão sendo feitos para amenizar o problema do fornecimento de água em Monlevadense: 5,5 km de adutoras para levar e propiciar que se leve água a um numero bem maior de habitante, em pontos bem adversos , reestruturação na Estação de Tratamento de Água ( ETA - pacas ) que não recebia investimentos satisfatórios desde os tempos de Germim Loureiro, sem contar os 2 novos reservatórios .
Provavelmente, estas medidas não serão suficientes para resolver definitivamente  o problema da falta dágua na  cidade ( diga-se de passagem, a estiagem prolongada,  como estamos vivendo atualmente, faz com que o nível do reservatório que atende o município caia pela metade, e não há prefeito que resolva as “coisas do céu)  mas, dará uma “amassiada” para o próximo prefeito, que assumirá a parte do “colocar para funcionar”!
Todos sabemos,que , qualquer construção ou reforma, gera transtornos, então meu povo, um pouco mais de paciência.

terça-feira, 16 de outubro de 2012

O Brasil que o Brasileiro carrega!


Admira-me muito os defensores da política Brasileira. Muitos destes, trabalhadores, que às duras penas vendem horas de suas vidas diariamente e vestem a "camisa" de seu país.
Orgulho de que? O Brasil é movido à base dos paliativos. Como não há competência ou “boa vontade” na solução dos problemas sociais, criam-se  vale gás, vale leite, bolsa escola, bolsa família ...Tornando-se, no decorrer dos anos, na verdade, em Mecanismo, único, de comodidade e inércia Política.

Programas estes que contribuem para o crescimento demográfico, desorganizado e artificial, das camadas e o distanciamento das classes. E, não precisamos ir além das fronteiras para a constatação dos males. Numa visita recente aos bairros Santa Cecília, Corumbiária de Vanessa e Nova Monlevade fiquei assustada com o número de crianças. Mas, e daí? Povoemos o Brasil.

Afinal, as soluções são simples para os problemas emergentes! Regulamentemos os planos de saúde para resolver os problemas das redes públicas de saúde no Brasil... Privatizemos as estradas para resolvemos os problemas rodoviários... Criemos sistemas de cotas para “sanar” as falhas do ensino público... Concluindo, pague a população o preço da hipocrisia de governo que não atua como deve atuar.
Precisamos ter consciência, que a aprovação do sistema de cotas não invalida a luta por uma educação pública de qualidade. Não podemos ser iludidos. O povo Brasileiro não precisa receber esmolas, haja vista, que na maioria das vezes paga por direitos constituídos.

Também, não precisamos de “prêmio de consolação” para “castas”, precisamos que todos os brasileiros sejam tratados com IGUALDADE SOCIAL.
Chega de  pontes construídas em caráter provisório e emergencial, para esconder os desmandos e desigualdades que existem no Brasil.

segunda-feira, 15 de outubro de 2012

Chaves 1975 - Ser Professor é Padecer no Inferno

Em 1975, Ser professor era padecer no Inferno e em 2012, Ser professor continua sendo!

Retorno de Feriado marcado por chuva e congestionamento...

Chuva, imprudência e excesso de velocidade são fatores que não combinam. Inegavelmente, a maioria dos acidentes de trânsito é causada pela imprudência dos motoristas. A ultrapassagem em locais proibidos e a velocidade acima do permitido são as principais causas. Ontem, próximo ao anel rodoviário de João Monlevade, havia quilômetros de congestionamento. E mesmo com o mau tempo, havia motoristas que se aventuravam em ultrapassagem pela direita.•. É preciso ter atenção e bom senso ao pegar a estrada, afinal pressa é inimiga da perfeição!
 

sábado, 13 de outubro de 2012

Olhando de perto...

Dá para entender o porquê dos moradores do Bairro Boa Vista quererem tanto um representante...
Vergonhoso!

quinta-feira, 11 de outubro de 2012

Charge do Dia: Já amadurou ou ficou podre?


Nem à frente, nem à trás, o lugar da mulher é ao lado do homem!

Enquanto o vereador Sinval, em tom agressivo
nominou a iniciativa de protesto, o vereador Belmar, abraçou a causa das
mulheres.
 
Ontem na Câmara de Vereadores, eu, Eliane Araújo, Patrícia, Filinha, Dorinha dentre outras participamos da reunião usando um "laço rosa" na roupa. Não em sinal de protesto, como erroneamente interpretou o vereador Sinval, afinal todos nós sabemos que não há como "impor" a presença feminina na Câmara e tão pouco "obrigar" a população para que elejam mulheres! Mas, para chamarmos a atenção da mulher para a importância da nossa participação na política!
 A resposta para as “dificuldades” das mulheres em serem ouvidas e compreendidas pode ser encontrada na própria construção histórica, onde o homem sempre aparece enquanto sujeito realizador de grandes feitos. Na maioria das vezes o papel da mulher foi de “coadjuvante”.
 Por um longo tempo, as mulheres foram colocadas em segundo plano, trancafiadas no ambiente doméstico e mesmo aquelas que não se contentaram com o papel social imposto, foram esquecidas ou tiveram pouca visibilidade na história. E Quando decidiram sair às ruas em busca da igualdade, sabiam que para conseguir seu espaço no mercado de trabalho teriam de percorrer um longo e árduo caminho e ainda aprender a equilibrar os problemas domésticos e as necessidades profissionais.
Concluo afirmando que a evolução da mulher em vários setores ainda é lenta. E ainda que atinjamos patamares antes impensáveis, ainda seremos discriminadas por grande parte da sociedade.
Mas, não podemos nos intimidar, afinal, tolos são os que pensam que lugar de Mulher é na COZINHA!

quarta-feira, 10 de outubro de 2012

Mulheres ganham espaço das eleições municipais de 2012, menos em João Monlevade.



Em 2012, ano que marca o aniversário dos 80 anos do direito de voto feminino no Brasil mais mulheres foram eleitas prefeitas no 1º turno. Foram 672 candidatas eleitas - um aumento de 33% na comparação com a eleição de 2008. No 1º turno das eleições daquele ano, foram eleitas 504 prefeitas, perfazendo 9,12% do total de candidatos às prefeituras no país. Na proporcional também ouve avanços, 7.648 candidatas conseguiram conquistar uma cadeira no Poder Legislativo. O número representa o fim de uma tendência de queda registrada nas duas eleições anteriores. Após o recorde anterior, registrado em 2000 com a eleição de 7.001 vereadoras, a participação feminina caiu para 6555 eleitas em 2004 e 6512 em 2008.  Mas o acréscimo tem sido pequeno e o país ainda continua muito longe da uniformidade de gênero na política (50%/50%). Fonte (Terra)
Segundo o professor e doutor em demografia José Eustáquio Diniz Alves, da Escola Nacional de Ciências Estatísticas do IBGE, o aumento de 2012 poderia ser explicado pela mudança da política de cotas. A alteração de apenas uma palavra na lei 12.034/2009 mudou a postura dos partidos políticos: "A alteração pode parecer pequena, mas a mudança do verbo "reservar" para 'preencher' significou uma mudança no sentido de forçar os partidos a dar maiores oportunidades para as mulheres", afirma. "O ideal é que fosse garantida a paridade de gênero (50% para cada sexo) nas listas de candidaturas, ou melhor, ainda nas cadeiras do Legislativo. Mas, diante do baixo número de mulheres candidatas, a mudança da lei em vigor já representou um avanço, mesmo que limitado."
Sob minha observação, a exclusão feminina da política é a última fronteira a ser revertida!
Em primeiro lugar, devemos nos perguntar: por que a presença de mulheres é tão pequena no poder? Normalmente a mulher tem um dom nato para delegar e assumir as mais variadas funções tanto no trato familiar quanto social. Porém existe um pensamento arraigado de que as mulheres não foram talhadas para a política.
Sabemos que as barreiras já começam em casa: grandes partes das mulheres trabalham “fora” e quando chegam do trabalho ainda encaram uma longa jornada de trabalhos domésticos. Aceitou indefinidamente a imposição do patriarca, da igreja, da escola e demais instituições, restringindo-se ao papel de uma mãe amorosa, só de cuidar com o coração e, com desprezo quase total da sua cabeça. Com todas essas atribuições, fica a pergunta: como ter tempo de si ingressar na política?
É chegada a hora de nos colocamos para analisar quais são as estruturas sociais que impedem ou dificultam o acesso das mulheres aos cargos políticos e começarmos a rever conceitos, porque afinal todos nós sabemos que embora a mulher seja a maior responsável pelo desenvolvimento integral da criação, quase nada se ateve a traçar, politicamente, as diretrizes dessa ação.

 

terça-feira, 9 de outubro de 2012

Charge do dia: Churrasco demais em tempo de eleição pode dar uma baita indigestão!


"Angú de um dia só não engorda cachorro"!


Durante a campanha tive a oportunidade de visitar praticamente todos os bairros de João Monlevade. Confesso que senti VERGONHA de pedir votos aos moradores em alguns deles (Serra do Egito, Cidade Nova, Nova Esperança, José de Alencar e Promorar) e admiro a “coragem” dos vereadores em bater à porta do eleitorado para fazê-lo e ainda por cima colocarem seus banners.
Tenho particularmente, “alergia” à política assistencialista e aversão a candidatos que aproveitam das “mazelas” da sociedade em época de eleição para angariar seus votos! Quer dar cestas básicas, arrumar muro, tapar buracos, levar água? Então que o façam sempre!
Mas a responsabilidade é solidária, visto que, com uma CIDADE PERMISSIVA aliada a UMA POPULAÇÃO PASSIVA, TUDO É POSSÍVEL! Tudo é show, tudo é festa! Certamente estamos longe, muito longe de “vivermos a democracia” em toda a sua plenitude. E ainda que vivamos mais cento e cinquenta anos presenciaremos a força da cultura do “Pão e Circo”!
Em minhas andanças, ouvi a declaração de votos para candidatos por diversos motivos: “Vou votar em fulano porque ele está doente e precisa do salário para se tratar”; “Vou votar em beltrano porque devo um favor para ele”, “Vou votar em cicrano porque ele precisa do salário”, e por aí vai. Somente uma minoria declarou votar porque achava o seu candidato “capaz” para a função!
Sem sombra de dúvidas, concluo que política é marketing!  Política não é “Utopia” e não foi feita para “amadores”!Assemelha-se a um “negócio” como outro qualquer.  É um equívoco muito grande achar que o “cliente” (eleitor) quer comprar aquilo que você quer vender. O mercado é dos que sabem muito bem o que os clientes querem e fazem algo em relação a isso. Então candidato, da próxima vez é bom lembrar-se de um ditado popular no meio dos negócios que diz: “A qualidade é recordada muito depois de o preço ter sido esquecido.”
Aos que ganharam também fica o alerta: Aonde vai o cachorro, vão as pulgas!