sexta-feira, 30 de março de 2012

De cratera para catarata!

Frase pronta:
'Os problemas nunca vão desaparecer, mesmo na mais bela existência. Problemas existem para serem resolvidos, e não para perturbar-nos.'
Foto da Avenida Rodrigues Alves



Sair do espeto e cair na brasa!



                                                                                  Como já disse o Marco Martino em outra circunstância: "Está difícil ver uma luz no fim do túnel"... Ao contrário do que muitos acreditam as movimentações estão a todo vapor! E, se tudo der certo, o povo ainda continuará "lascado"!
 Velhos elementos, com velhas manobras, querem manter as velhas artimanhas utilizadas dentro da administração Municipal. Nossa cidade é governada, como a maioria das cidades do Brasil, através de um “jogo de cartas marcadas”. Antes mesmo da eleição tudo é acertado: Quem administra, quem obedece, quem fica, quem sai, quem ganha, quem perde...
 
A ética e o respeito estão longe de serem regras para o “jogo”! E nesta premissa, passa-se por cima do oponente seja de que jeito for... Calúnia, difamação e todo o tipo de manobras são aceitas, afinal, o importante é ganhar a eleição , mesmo que a qualquer preço!  
O curioso que é que existem elementos disfarçados, que incorporam brilhantemente um discurso de renovação, mas, continuam pelos bastidores tecendo e tramando.
Estes a meu ver são ainda mais perigosos! Afinal, são dotados de curso de especialização na arte do “coronelismo” e vestem-se como cordeiros!
Sem querer jogar a toalha, mas, num discurso bem pessimista, começo a acreditar no que muitos ao longo de 1 ano de “Cutucadas” vêm comentando: “Para mudar definitivamente o cenário de Monlevade carecemos de belos (creio que não) e longos anos”.
Talvez a população aprender a votar, seja a fórmula de "cortar o nó górdio", em que  se transformou a política de Monlevade... E,  por incrível  que possa parecer, este é o maior desafio!
Já estou prevendo os comentários: "Eu bem que te avisei Eliane , eu bem que te avisei"...!

quinta-feira, 29 de março de 2012

Andando em círculos


Ontem enquanto “circulava” pela rotatória da Rua Monte Santo, mais uma tentativa, a meu ver, frustada, na solução do trânsito de MOnlevade fiquei pensando no quanto “rodeamos” os problemas. Faz-se a mesma coisa várias e várias vezes esperando que o resultado seja diferente e assim repetem-se os erros...

O problema é que a grande maioria não sabe que está andando em círculos até estar à beira do precipício.

Uma solução nova pra um problema antigo. Cortar o mal pela raiz. Esta seria a solução! No fundo, sabe-se a medida a ser tomada, mas porque a vontade não obedece?
Talvez porque fisiologicamente, os seres humanos não possam andar em linhas retas. Verdade! Se não houver nenhum ponto fixo de referência, nós só andamos em círculos. Se vendarmos seus olhos e pedir para você andar reto, você irá andar em círculo, pois sempre pende para algum lado. Ninguém sabe o porquê, mas pesquisadores do Instituto Max Planck para Cibernética Biológica confirmaram com vários experimentos.
A contumaz mania de adiar, de começar a caminhar no dia seguinte, afasta-nos do foco. Andamos em círculos porque em primeiro lugar não possuímos um objetivo muito claro em mente.
Infelizmente ou felizmente necessitamos de bússolas... Porém, não podemos limitar ao começo. Seguir em frente, dar o próximo passo, pode ser complicado, difícil, mas parar no meio do caminho nos impedirá de fechar os círculos!  

quarta-feira, 28 de março de 2012

Imoralidade política!

Parece brincadeira, mas alguns Presidentes dos principais partidos brasileiros, sob a alegação de que “foram pegos de surpresa”, foram ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) nesta terça-feira (27) para reforçar o pedido de reconsideração da decisão que determinou a exigência de contas de campanha aprovadas para políticos poderem se candidatar nas eleições de 2012. Será que é isto que os eleitores desejam?

O problema das leis brasileiras é deixar brechas para oportunistas. Parece que tudo é realizado propositadamente para dar duplo sentido às interpretações. E parece que a Lei da Ficha Limpa, caminha para a mesma dissolução.

Ora, a obrigação dos partidos é trazerem "a casa” em ordem. Além do mais, a Ficha Limpa, tem como objetivo moralizar a política, acabar com as irregularidades...

Os partidos, a meu ver, por uma questão de respeito à população, não deveriam sequer lançar a candidatura de filiados com problemas na justiça. Deixe que eles resolvam suas pendências, sejam julgados e liberados pela justiça primeiramente, para só depois, inocentados, venham fazer parte do processo novamente.

O TSE, caso acate este pedido, poderá ficar em “maus lençóis”, pois, a justiça já está muito desmoralizada diante da população brasileira, por estar envolvida em falcatruas diariamente, e por ser uma vitória, a Lei Ficha Limpa, atualmente é a menina dos olhos do povo brasileiro!


segunda-feira, 26 de março de 2012

Não foi acidente!

Diariamente os noticiários divulgam acidentes de trânsito e na maioria dos casos o álcool tem sido o propulsor negativo para encerrar vidas ou deixar vítimas inválidas.

Para tentar mudar o quadro de excessivos acidentes em que a embriaguez do condutor é causa dos acidentes, está em andamento a campanha “Não Foi Acidente”.  A iniciativa popular tem como objetivo obter assinaturas suficientes para encaminhar projeto de lei ao Congresso Nacional para modificar e endurecer o Código de Trânsito Brasileiro, aumentando a punição para pessoas que cometem crimes ao dirigir embriagados.
A principal proposta do projeto é acabar com multa para quem dirige embriagado. O objetivo principal é a tolerância zero para direção e embriaguez. Para tanto, pretende a alteração das penas para quem dirige embriagado (de 1 a 3 anos de prisão) e para quem mata no trânsito por dirigir embriagado (de 5 a 8 anos de prisão). Além disso, permite que o exame clinico feito pelo médico sirva de prova para comprovar a embriaguez do condutor, sem a necessidade do bafômetro ou exame de sangue.Você pode ajudar ATIVAMENTE a mudar nossa lei e acabar com a impunidade no trânsito brasileiro.
Clique no link abaixo e assine eletronicamente nossa petição pública!
http://naofoiacidente.org/site/assine/

Idosos ao volante, quais os riscos?!

Sábado ao conduzir pela Avenida Wilson Alvarenga, percebi que o condutor que trafegava à minha frente estava um tanto quanto “perdido”.  No meio da pista, o mesmo sinalizava para direita e para a esquerda sucessivamente, porém sem tomar nenhuma iniciativa. Cheguei a piscar os meus faróis no sentido de “situá-lo”, uma vez que o mesmo havia me fechado por três vezes, mas, ele se quer percebeu... Parecia estar procurando por alguém pela avenida. Ao parar paralelamente a ele no sinal pude perceber que se tratava de um idoso.

Longe de ser preconceituosa, mas, todos nós sabemos à medida que envelhecemos, há naturalmente uma diminuição do potencial do cérebro.

Sabe-se também que com o envelhecimento, até os guias mais habilidosos sofrem com o declínio das habilidades senso-motoras, que tem impacto em todas as atividades desempenhadas, dentre elas o dirigir. Um idoso no volante não tem o mesmo tempo de reação, a mesma concentração ou visão noturna e periférica de quando era um jovem motorista.

Os problemas de saúde que acompanham os idosos, também podem contribuir para o mau desempenho deles ao volante.  De acordo com dados da Associação Brasileira de Medicina de Tráfego (ABRAMET), a hipertensão e os problemas na visão, nas articulações e na musculatura podem fazer com que o idoso tenha de reduzir o uso do carro ou até deixar de dirigir.

Também sabemos que deixar de dirigir em função da idade tem um impacto sempre significativo na vida de das pessoas, mesmo daqueles dirigem de vez em quando. Muitos acreditam que o fato é uma limitação da liberdade ou um tipo de atestado de invalidez.

No nosso Código de trânsito não consta uma idade limite para parar de dirigir, mas a partir dos 65, os exames se tornam periódicos, justamente pelo fato de que, mesmo sendo mais cauteloso, a taxa de mortalidade entre idosos que sofrem acidentes é mais alta do que a de jovens, pelo fato de terem menos reservas de osso, sangue, por complicações na recuperação e doenças decorrentes.

Não estou querendo fazer apologia à juventude, inclusive, a meu ver, os idosos possuem um comportamento mais educado em relação aos jovens e quase sempre praticam a direção defensiva. Porém, quero chamar a atenção dos mesmos quanto às limitações naturais. Meu pai, por exemplo, na casa dos 70, é um ótimo motorista, mas não gosta de dirigir a noite, justamente por reconhecer os seus limites.

O importante é aceitar e reconhecer o momento de parar.

sexta-feira, 23 de março de 2012

Bolsa Palhaço! Mais uma iniciativa do governo!



Ontem no grupo Eleições 2012, espaço criado pelo Raoni Ras no Facebook, houve um dialogo muito interessante sobre uma dúvida que tinha em relação aos pretensos candidatos às eleições deste ano.
 Na verdade, (como a maioria dos eleitores brasileiros) não entendo nada de Leis, mas pude entender perfeitamente, que até o momento, a Ficha Limpa é uma piada Nacional.

Tenho apreço pela ideia original, mas ainda há que se avançar muito...

No meu entendimento, a Ficha Limpa, caminha para uma “guerra em tribunais”. Afinal, tenho dúvidas de que a justiça eleitoral consiga verificar a prestação de contas de toda essa turma antes do registro de candidatura.

A contumaz mania dos recursos e liminares é o que desmoraliza as leis. Seria democraticamente correto proibir o registro em definitivo e não criar saídas malandras aos malandros candidatos. Ou é Ficha Limpa ou não é.

Parece que em se tratando de Brasil, lei é só para se ver e não para ser aplicada!

Quem será o novo herói?

“A humanidade tem dupla moral: uma que prega mas não pratica, outra que pratica mas não prega”. Creio que o comodismo sempre foi e continuará sendo um grande empecilho para a humanidade.  É tão mais fácil atribuir nossas limitações aos “heróis”...

Fugir dos problemas é mais fácil do que enfrentá-lo. E assim, seja na área política, social ou religiosa, os heróis serão sempre bem-vindos. Ora, para os heróis não existe esgotamento de possibilidades, não existe fadiga, não existe medo! E eles podem estar aí em uma esquina qualquer esperando por ser revelado!

Precisamos de heróis (ainda que com prazo de validade) à custa de termos que viver no “deixa como está, não se pode mudar” ...

A pior pobreza é a do espírito. Somos carentes de heróis porque nos falta atitude de “grande”. Nos falta coragem e vontade para cumprir e assumir o nosso papel de gente. E assim, entregamos a nossa vida, os nossos problemas nas mãos de outrem para que ele resolva.

Estamos nos descaracterizando, perdendo nossos valores, e muitos precisam entender que a falta de princípios é a raiz de todas as misérias.

quinta-feira, 22 de março de 2012

Comentário de longe...

Boa tarde
Trabalho numa escola municipal do RJ e sei bem o que é indisciplina em sala. Alunos sem qualquer compromisso com os estudos e direções omissas e coniventes com a indisciplina. Na minha escola , então , nada fazem de concreto , só gritam com os alunos...
Gabriel

http://cutucadas.blogspot.com.br/2012/02/escolas-e-professores-brasileiros.html?showComment=1332450894965
Mar 22, 2012 12:49 PM
Este é um problema crônico no Brasil: A falta de educação!

Tráfico de água no Brasil!

Quem assistiu ao filme além da Cúpula do Trovão deve se lembrar da "guerra em torno da água", que era vendida a preço de ouro. Pois bem, a situação a seguir não  se trata de ficção científica; navios-tanque estão retirando sorrateiramente água do Rio Amazonas sem que as autoridades tomem providências: http://profdiafonso.blogspot.com.br/2012/01/e-assustador-o-trafico-de-agua-doce-no.html


Falar da água é falar da vida!

Ouve-se falar todos os dias sobre consumo sustentável da água. Sabemos da importância do envolvimento da população com a causa. Afinal, é como as campanhas educativas primam: "Cada gota conta. E cada pessoa faz a diferença!”.

No entanto, vivemos a controvérsia: De um lado a população sendo conscientizada sobre o uso sustentável da água, economizando, racionalizando e reaproveitando, do outro, bilhões de litros de esgoto sem tratamento sendo jogados diretamente na natureza no país, contaminando solo, rios, praias e mananciais, e trazendo impactos diretos à saúde da população. Falta sensibilidade do poder público para a importância de se tratar seu esgoto, não prejudicando as populações de outros municípios

De acordo com estudos do IBGE, tanto na saúde quanto na educação, a falta de saneamento tem efeitos consideráveis – e com consequências econômicas desastrosas. Estudo do BNDES estima que 65% das internações em hospitais de crianças com menos de 10 anos sejam provocadas por males oriundos da deficiência ou inexistência de esgoto e água limpa.

A Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) 2006 do IBGE registra que 34% da ausência de crianças de zero a seis anos em creches e salas de aula se devem às doenças relacionadas com a falta de saneamento.

No âmbito da política, saneamento básico  não é um bom tema eleitoral, afinal, expõe a população à realidade de um país que vive no esgoto!


quarta-feira, 21 de março de 2012

O rei nu

A roupa nova do rei -  Hans Christian Andersen
Era uma vez um rei, tão exageradamente amigo de roupas novas, que nelas gastava todo o seu dinheiro. Ele não se preocupava com seus soldados, com o teatro ou com os passeios pela floresta, a não ser para exibir roupas novas. Para cada hora do dia, tinha uma roupa diferente. Em vez de o povo dizer, como de costume, com relação a outro rei: "Ele está em seu gabinete de trabalho", dizia "Ele está no seu quarto de vestir".
A vida era muito divertida na cidade onde ele vivia. Um dia, chegaram hóspedes estrangeiros ao palácio. Entre eles havia dois trapaceiros. Apresentaram-se como tecelões e gabavam-se de fabricar os mais lindos tecidos do mundo. Não só os padrões e as cores eram fora do comum, como, também as fazendas tinham a especialidade de parecer invisíveis às pessoas destituídas de inteligência, ou àquelas que não estavam aptas para os cargos que ocupavam.
"Essas fazendas devem ser esplêndidas, pensou o rei. Usando-as poderei descobrir quais os homens, no meu reino, que não estão em condições de ocupar seus postos, e poderei substituí-los pelos mais capazes... Ordenarei, então, que fabriquem certa quantidade deste tecido para mim."

Pagou aos dois tecelões uma grande quantia, adiantadamente, para que logo começassem a trabalhar. Eles trouxeram dois teares nos quais fingiram tecer, mas nada havia em suas lançadeiras. Exigiram que lhes fosse dada uma porção da mais cara linha de seda e ouro, que puseram imediatamente em suas bolsas, enquanto fingiam trabalhar nos teares vazios.

- Eu gostaria de saber como vai indo o trabalho dos tecelões, pensou o rei. Entretanto, sentiu-se um pouco embaraçado ao pensar que quem fosse estúpido, ou não tivesse capacidade para ocupar seu posto, não seria capaz de ver o tecido. Ele não tinha propriamente dúvidas a seu respeito, mas achou melhor mandar alguém primeiro, para ver o andamento do trabalho.

Todos na cidade conheciam o maravilhoso poder do tecido e cada qual estava mais ansioso para saber quão estúpido era o seu vizinho.
- Mandarei meu velho ministro observar o trabalho dos tecelões. Ele, melhor do que ninguém, poderá ver o tecido, pois é um homem inteligente e que desempenha suas funções com o máximo da perfeição, resolveu o rei.

Assim sendo, mandou o velho ministro ao quarto onde os dois embusteiros simulavam trabalhar nos teares vazios.
- "Deus nos acuda!!!" pensou o velho ministro, abrindo bem os olhos. "Não consigo ver nada!"
Não obstante, teve o cuidado de não declarar isso em voz alta. Os tecelões o convidaram para aproximar-se a fim de verificar se o tecido estava ficando bonito e apontavam para os teares. O pobre homem fixou a vista o mais que pode, mas não conseguiu ver coisa alguma.
- "Céus!, pensou ele. Será possível que eu seja um tolo? Se é assim, ninguém deverá sabê-lo e não direi a quem quer que seja que não vi o tecido."

- O senhor nada disse sobre a fazenda, queixou-se um dos tecelões.
- Oh, é muito bonita. É encantadora!! Respondeu o ministro, olhando através de seus óculos. O padrão é lindo e as cores estão muito bem combinadas. Direi ao rei que me agradou muito.
- Estamos encantados com a sua opinião, responderam os dois ao mesmo tempo e descreveram as cores e o padrão especial da fazenda. O velho ministro prestou muita atenção a tudo o que diziam, para poder reproduzi-lo diante do rei.

Os embusteiros pediram mais dinheiro, mais seda e ouro para prosseguir o trabalho. Puseram tudo em suas bolsas. Nem um fiapo foi posto nos teares, e continuaram fingindo que teciam. Algum tempo depois, o rei enviou outro fiel oficial para olhar o andamento do trabalho e saber se ficaria pronto em breve. A mesma coisa lhe aconteceu: olhou, tornou a olhar, mas só via os teares vazios.
- Não é lindo o tecido? Indagaram os tecelões, e deram-lhe as mais variadas explicações sobre o padrão e as cores.
"Eu penso que não sou um tolo, refletiu o homem. Se assim fosse, eu não estaria à altura do cargo que ocupo. Que coisa estranha!!"... Pôs-se então a elogiar as cores e o desenho do tecido e, depois, disse ao rei: "É uma verdadeira maravilha!!"

Todos na cidade não falavam noutra coisa senão nessa esplendida fazenda, de modo que o rei, muito curioso, resolveu vê-la, enquanto ainda estava nos teares. Acompanhado por um grupo de cortesões, entre os quais se achavam os dois que já tinham ido ver o imaginário tecido, foi ele visitar os dois astuciosos impostores. Eles estavam trabalhando mais do que nunca, nos teares vazios.

- É magnífico! Disseram os dois altos funcionários do rei. Veja Majestade, que delicadeza de desenho! Que combinação de cores! Apontavam para os teares vazios com receio de que os outros não estivessem vendo o tecido.
O rei, que nada via, horrorizado pensou: "Serei eu um tolo e não estarei em condições de ser rei? Nada pior do que isso poderia acontecer-me!" Então, bem alto, declarou:
- Que beleza! Realmente merece minha aprovação!! Por nada neste mundo ele confessaria que não tinha visto coisa nenhuma. Todos aqueles que o acompanhavam também não conseguiram ver a fazenda, mas exclamaram a uma só voz:
- Deslumbrante!! Magnífico!!

Aconselharam eles ao rei que usasse a nova roupa, feita daquele tecido, por ocasião de um desfile, que se ia realizar daí a alguns dias. O rei concedeu a cada um dos tecelões uma condecoração de cavaleiro, para seu usada na lapela, com o título "cavaleiro tecelão". Na noite que precedeu o desfile, os embusteiros fiizeram serão. Queimaram dezesseis velas para que todos vissem o quanto estavam trabalhando, para aprontar a roupa. Fingiram tirar o tecido dos teares, cortaram a roupa no ar, com um par de tesouras enormes e coseram-na com agulhas sem linha. Afinal, disseram:

- Agora, a roupa do rei está pronta.
Sua Majestade, acompanhado dos cortesões, veio vestir a nova roupa. Os tecelões fingiam segurar alguma coisa e diziam: "aqui está a calça, aqui está o casaco, e aqui o manto. Estão leves como uma teia de aranha. Pode parecer a alguém que não há nada cobrindo a pessoa, mas aí é que está a beleza da fazenda".

- Sim! Concordaram todos, embora nada estivessem vendo.
- Poderia Vossa Majestade tirar a roupa? propuseram os embusteiros. Assim poderiamos vestir-lhe a nova, aqui, em frente ao espelho. O rei fez-lhes a vontade e eles fingiram vestir-lhe peça por peça. Sua majestade virava-se para lá e para cá, olhando-se no espelho e vendo sempre a mesma imagem, de seu corpo nu.
- Como lhe assentou bem o novo traje! Que lindas cores! Que bonito desenho! Diziam todos com medo de perderem seus postos se admitissem que não viam nada. O mestre de cerimônias anunciou:
- A carruagem está esperando à porta, para conduzir Sua Majestade, durante o desfile.
- Estou quase pronto, respondeu ele.

Mais uma vez, virou-se em frente ao espelho, numa atitude de quem está mesmo apreciando alguma coisa.
Os camareiros que iam segurar a cauda, inclinaram-se, como se fossem levantá-la do chão e foram caminhando, com as mãos no ar, sem dar a perceber que não estavam vendo roupa alguma. O rei caminhou à frente da carruagem, durante o desfile. O povo, nas calçadas e nas janelas, não querendo passar por tolo, exclamava:
- Que linda é a nova roupa do rei! Que belo manto! Que perfeição de tecido!
Nenhuma roupa do rei obtivera antes tamanho sucesso!

Porém, uma criança que estava entre a multidão, em sua imensa inocência, achou aquilo tudo muito estranho e gritou:
- Coitado!!! Ele está completamente nu!! O rei está nu!!
O povo, então, enchendo-se de coragem, começou a gritar:
- Ele está nu! Ele está nu!
O rei, ao ouvir esses comentários, ficou furioso por estar representando um papel tão ridículo! O desfile, entretanto, devia prosseguir, de modo que se manteve imperturbável e os camareiros continuaram a segurar-lhe a cauda invisível. Depois que tudo terminou, ele voltou ao palácio, de onde envergonhado, nunca mais pretendia sair. Somente depois de muito tempo, com o carinho e afeto demonstrado por seus cortesões e por todo o povo, também envergonhados por se deixarem enganar pelos falsos tecelões, e que clamavam pela volta do rei, é que ele resolveu se mostrar em breve aparições... Mas nunca mais se deixou levar pela vaidade e perdeu para sempre a mania de trocar de roupas a todo momento.

Quanto aos dois supostos tecelões, desapareceram misteriosamente, levando o dinheiro e os fios de seda e ouro. Mas, depois de algum tempo, chegou a notícia na corte, de que eles haviam tentando fazer o mesmo golpe em outro reino e haviam sido desmascarados, e agora cumpriam uma longa pena na prisão.

ESSA É UMA HISTÓRIA FICTÍCIA, Qualquer semelhança com a vida real, pode ser mera coincidência… ou não!

A água é um direito humano essencial!

É fato: Nenhum gestor de João Monlevade deu a devida importância às questões ligadas à manutenção do abastecimento de água no município. Em se tratando de saneamento básico, a demanda sempre andou na contramão dos investimentos.


Inclusive, o problema que a atual administração municipal vem sofrendo em relação ao abastecimento de água no município é uma herança da falta de investimentos e de planejamento das gestões anteriores, o que se intensificou ainda mais com o aumento das atividades na construção civil.

O acesso à água potável e ao saneamento básico , segundo a ONU, é um direito humano essencial. Amanhã, 22 de março, dia da água, a administração Municipal entregará à população, o reservatório do Sion, com capacidade de 400 mil litros de água. . É com alegria que recebo a notícia, afinal, ofertar à população um serviço de abastecimento de água eficaz e satisfatório vai além de presenteá-la, é garantir ao cidadão o direito á qualidade de vida.


Vale tudo pela vaidade?!

Se eu chegasse a engravidar tomando Roacutan, teria que abortar (palavras das minhas duas últimas dermatologistas)”. Frase de uma adolescente em relação a um medicamento muito utilizado para o tratamento de Acnes (espinhas).                   
 
Alerta: a Teratogênese também chamada de Teratogenia se refere à formação e desenvolvimento do útero de anomalias que levam a malformações do feto, geralmente provocada por medicamentos usados pela gestante. Por exemplo, a uns anos atrás tivemos a TALIDOMIDA que era usado por grávidas como remédio para anjoo... só que era teratogênico, logo, milhares de crianças nasceram com malformações.
Outro exemplo a warfarina que é um anticoagulante... também é teratogênico...
A eliminação deste medicamento do organismo é demasiadamente lenta. Portanto, a gravidez é absolutamente contraindicada durante todo o tratamento com um medicamento que tenha algum potencial teratogênico e por mais dois anos após a sua interrupção.
O Roacutan (isotretinoina), usado para tratamento de acne, largamente distribuído entre os dermatologistas, é altamente perigoso e somente pode ser usado em mulheres depois da assinatura de um termo de responsabilidade.
É imprescindível que homens tomando qualquer medicamento teratogênico usem ''camisinha'' por pelo menos um mês após terem terminado o tratamento. Não podem doar sangue ou esperma enquanto estiverem tomando este medicamento.
A meu ver, o correto seria não recomendar o uso de qualquer medicamento com alto poder teratogênico para mulheres na idade fértil ou gestacional, principalmente no caso das adolescentes.


terça-feira, 20 de março de 2012

Onde está a polícia?

Monlevade tornou-se um canteiro de obras. Nem a notícia do cancelamento da duplicação da Arcellor serviu de empecilho para o mercado imobiliário e a construção civil. Porém, a matemática é simples: mais riqueza em circulação, maior atratividade para o crime, com o sistema despreparado para enfrentar isso.

Os índices de assaltos em Monlevade vêm aumentando gradativamente, sem que a própria população tome conta. É o efeito colateral da expansão de empregos e consumo aliado á falta de estrutura e de planejamento dos órgãos de segurança pública.

A Polícia Militar, mesmo em números satisfatórios, por si só, não é capaz de resolver todos os problemas de segurança pública no Município. Está na hora da administração Municipal acordar e começar uma ação conjunta visando medidas preventivas de assaltos e roubos na cidade.


segunda-feira, 19 de março de 2012

A importância da gestão de pessoas nas instituições de saúde.

Já estive em vários hospitais e falo de antemão que o Hospital Margarida é privilegiado em termo de instalações. Conforme foi mencionado no relatório de gestão 2006/2012 recentemente distribuído na mídia, o hospital Margarida é motivo de orgulho para os Monlevadenses em termos estéticos, mas ainda há muito que evoluir em termos funcionais.
É lógico que a infraestrutura e a aquisição de equipamentos que acompanham o avanço tecnológico e cientifico são de suma importância no ambiente hospitalar, porém, o aproveitamento desse material depende de pessoas que se envolvam no processo, que estejam aptas para acompanhar o desenvolvimento e que o utilizem; daí a importância de investimentos no “capital humano”.
A gestão do hospital precisa passar por mudanças e valorizar mais os funcionários.
A beleza não pode ser extrínseca, o gestor tem que criar um meio de motivar os seus colaboradores, mostrando a eles a importância de seu trabalho para o bom andamento da instituição; disponibilizar momentos para ouvi-los; saber quais são seus anseios (necessidades), saber o que o incomoda, desta forma o gestor terá os colaboradores como parceiros.
De forma específica o gestor hospitalar, seja ele médico ou outro profissional, tem como desafio, envolver-se com o trabalho de todo a equipe, seja ela de um contexto micro ou macro. Além disso, precisa empenhar-se em conhecer as patologias para as quais o hospital é especializado, as necessidades dos das pessoas que ali se internam, bem como as alternativas de tratamento. Quanto mais o gestor hospitalar se envolver com estes aspectos, mais chance de humanização terá o ambiente hospitalar que dirige.
A modernização da estrutura hospitalar deve transcender a parte física, nossos gestores devem ter a consciência de que a “saúde” é o principal produto que o hospital tem a oferecer à sua clientela.

domingo, 18 de março de 2012

Prefeituras usam dinheiro para tudo, menos para o bem dos cidadãos!

Um prefeito construía uma pista de pouso exclusiva para o amigo fazendeiro. Outro queria agradar a amiga e teria mandado reformar a casa dela. E aquele que pintou a cidade inteira com as cores da campanha dele. E tudo isso foi feito com dinheiro público. O Fantástico do último domingo (4), trouxe uma reportagem chocante sobre a corrupção em prefeituras do Brasil. Durante um mês, em quatro estados do país, as equipes do Fantástico investigaram acusações de prefeituras que usam parte do dinheiro público para tudo, menos para o bem dos cidadãos. São casos bizarros, que poderiam ser vistos como simples folclore, se não fossem tão graves:
http://fantastico.globo.com/Jornalismo/FANT/0,,MUL1678855-15605,00-MP+ACUSA+PREFEITO+DE+COMPRAR+COMBUSTIVEL+SUFICIENTE+PARA+DAR+NOVE+VOLTAS+NA.html
Hoje o tema é licitação! Vale a pena conferir!

sexta-feira, 16 de março de 2012

Senso prático dando lugar ao senso crítico!

Acabo de ler no jornal A Notícia que populares tiveram que improvisar uma placa para orientar o trânsito na Rua Ricardo Leite, porque motoristas estariam convergindo na contramão de direção.

O mesmo problema está ocorrendo constantemente na Rua Francisco Telles (atrás do Bretas). Porém, o local está devidamente sinalizado, o problema são "os folgadinhos"; que inclusive, chegam a parar, porém ao observar que há uma lentidão na esquina com a Av. Getúlio Vargas, resolvem dar uma "escapadela" pela contramão.

Coloca um guarda  nestes locais de plantão para ver se alguém "se esquece" de que houve modificação no trânsito... Infelizmente, em se tratando de Brasileiro, as coisas só funcionam quando dói no bolso!


Eles sim, são dignos de homenagem!

Valdete Firmino , gente que faz!
Recebi com muita alegria a notícia de que a ATLIMARJON, Associação dos Trabalhadores na Limpeza e Material Reciclável de João Monlevade, recebeu das mãos da administração municipal alguns equipamentos que ajudarão na produção e principalmente na qualidade de vida dos catadores.

Não é de hoje que eu conheço a luta dos catadores de lixo por melhores condições de trabalho. Já citei várias vezes o trabalho constante, às vezes solitário, de Valdete Firmino Rosa, hoje, tesoureira. Não foi fácil para eles chegarem onde estão

Foi travada uma luta contra todos os tipos de dificuldades e discriminação social em relação à atividade. Sem contar, a ameaça constante por grandes empresas recicladoras que insistem em eliminar o catador na intermediação entre a coleta e a reciclagem.

Coletar e viver do lixo, não é fácil! E só tem consciência disto quem o faz!
O talento desses homens e mulheres para viver deste trabalho é inquestionável, principalmente por ainda existir certo preconceito por parte da sociedade. Podemos notar ao caminhar nas ruas, o olhar da maior parte das pessoas em relação aos “catadores do lixo”, algo que perpassa de sentimentos humanitários a repulsa ao mesmo tempo.

O fato é que o catador de material reciclável, mesmo realizando um trabalho imprescindível na questão da sustentabilidade, ainda é invisível perante a sociedade!



quinta-feira, 15 de março de 2012

Precisa-se de pessoas de coragem!

Passividade, conformismo, submissão? Estamos vivendo o imobilismo. Afinal, fala-se muito e nada acontece.  Existem pessoas dentro de Monlevade que esperam mudanças, mas não fazem, nem promovem as reformas para mudar a cidade de patamar. Pior, mesmo sabendo que boa parte da população não se sente atraída pela política atual, não têm de coragem de dar a cara a bater! No fundo, não acreditam que podem mudar, ou querem mudanças que partam de um modelo já existente, por isso não se mexem.

Acredito que a fragilidade está sintetizada no comodismo. Alguns formadores de opinião e políticos de Monlevade até têm consciência da importância da renovação política em Monlevade; há ainda entre eles, os que se dispõem a levantar a bandeira, mas falta a "coragem" para levar adiante as reformas necessárias. Audácia de romperem os laços com o passado. De começar do zero!
Não há como retirar a cidade de um estado letárgico simplesmente com “boa vontade”. A verdade é que a grande maioria dos grupos políticos de Monlevade segue uma “cartilha pronta”, e ainda que impere um desejo de mudança, ninguém quer abrir mão da vantagem sobre o outro. De estar do lado do “grupo vencedor”!

Todo dia tento convencer pessoas de que não vale a pena “ganhar a qualquer preço”, pois quem ganha desta forma, não administra! Mas...
Como diria os Engenheiros do Hawaii, “Somos quase livres, isto é pior do que a prisão”!

quarta-feira, 14 de março de 2012

O problema no trânsito é o motorista!

Já peguei um pouco no “pé” de alguns instrutores de autoescolas e do modo peculiar de ensinar a dirigir em Monlevade. Parece que os novos motoristas estão aprendendo que as faixas brancas (ou amarelas), pintadas no asfalto, devem ser alinhadas com o centro exato do carro, fazendo com que cada Monlevadense ocupe duas pistas ao mesmo tempo.

Também existem dois equipamentos, considerados equipamentos de uso essencial ao condutor, as SETAS e os RETROVISORES, que em Monlevade funcionam como acessórios de luxo ou itens opcionais. Creio que são apenas instalados para incrementar o veículo, pois seu uso é totalmente ignorado por alguns motoristas.

Apesar de muitos condutores não darem a mínima atenção, o espelho retrovisor é um equipamento essencial do automóvel, concedendo ao motorista uma maior amplitude de visão, permitindo a percepção das situações que ocorrem à sua volta e possibilitando que situações de perigo sejam evitadas; e aliado à seta (imprescindível; e fazer uso dela não é cortesia, é obrigação) compõem um pacote denominado direção defensiva!

Imagine os riscos de acidentes que a seta ajuda a eliminar: numa ultrapassagem ou mudança de faixa, se o condutor a ser passado não souber dessa intenção, ele pode se assustar virar o carro ou frear bruscamente – o que poderia causar um acidente grave dependendo da situação – e, até mesmo, bater na traseira do carro da frente. Numa mudança de faixa, um carro pode não ser visto por estar no ponto cego do motorista, mas a lanterna piscando pode fazer com que o motorista de trás veja o carro antes que ele altere sua faixa de direção e, assim, evitar um acidente. Numa esquina, os pedestres que queiram atravessar saberiam que carro vai virar e que carro não vai se todos usassem as setas. Se o carro não dá a seta e o pedestre imagina que ele não irá naquela direção, ele pode atravessar a rua e acabar atropelado.

Qual seria o motivo para ignorar os componentes de segurança de um veículo? Preguiça, esquecimento, excesso de confiança, má vontade… Apesar de não ser uma cortesia no trânsito, atitudes como piscar a lanterna do carro ao mudar de direção é sinal de respeito, cuidado e consideração para com os demais. Não fazer uso disso prova egoísmo, desinteresse, grosseria e falta de preocupação para com o próximo.

terça-feira, 13 de março de 2012

Vamos ajudar o Juvenal gente!

O Joelho Juvenal - Ziraldo

Era uma vez um joelho que se chamava Juvenal.
Juvenal tinha um problema, coitado: vivia todo escalavrado.
Também, quem mandou o Juvenal ser o joelho de um menino levado?
Juvenal queria muito aprender língua de menino só pra dizer assim: “Menino, tem dó de mim!”
Mas, quando o esfolado sarava, Juvenal bem que gostava de correr e de saltar.
E ele se desdobrava e se dobrava outra vez todo alegre, pois sabia que, indo e vindo, fazia o menino feliz.
E ficava muito atento conversando com o pé (pois o pé e o joelho se falam).
– Cuidado aí, companheiro! Pode ser que no meio do caminho tenha uma pedra, tenha uma pedra no caminho...... e aí você tropeça e quem vai sofrer sou eu.

Mas, não adiantava nada! O pé sempre tropeçava e lá ia o Juvenal outra vez pra enfermaria!
O Juvenal era muito religioso! Mas, tinha um probleminha com a Semana Santa (que vinha logo depois das férias).
Imaginem O Juvenal em que estado estava quando as férias acabavam!

Aí vinha a Semana Santa... E o Juvenal, coitado, todo cheio de esfolados, tendo tanto pra rezar!
Mesmo assim, o Juvenal gostava muito da vida, do vento ventando nele, quando o menino corria, todo feliz, pelo mundo.
E Juvenal adorava quando a água lhe batia até onde ele se achava para ver se a água dava pé.
Assim como o pé e a canela ele também pensava: “É o fino ser mergulhador submarino”.
Um dia, tudo ficou escuro para o Juvenal. E aí, ele descobriu que o menino tinha crescido.
E agora, em vez de short, calção ou calcinha curta, usava calça comprida.
Por isso, hoje, Juvenal tem um pedido a fazer aos fabricantes de calças.
Que tal criar um modelo de calça, sob medida, que tenha dois buraquinhos pro Juvenal ver a vida?!



..............................................................................

ESSA É UMA HISTÓRIA FICTÍCIA, Qualquer semelhança com a vida real, pode ser mera coincidência… ou não!

Trânsito incontrolável?!

Baseado em fatos reais, o filme Incontrolável , narra a história de  um maquinista e um engenheiro experiente que contrariando as ordens dos superiores , elaboram um incrível plano para tentar parar uma locomotiva desenfreada  e evitar um desastre em uma área densamente povoada.

Metaforizando...  Pessoas experientes, detentoras de um vasto conhecimento acadêmico, diante um problema aparentemente insolucionável, são surpreendidas pela atitude de dois “reles funcionários” que, literalmente, decidem tomar a rédea da situação e salvar a vida de milhares de pessoas.

No nosso cotidiano isso não é diferente! Algumas pessoas vivem de individualizar problemas. Acham que concentrar-se unicamente na questão é a melhor maneira de solucioná-la e assim, dispensam outros pontos de vista e ideias que poderiam ajudá-las a superar as dificuldades.
Conversar com outras pessoas (não necessariamente especialistas) possibilita que o problema seja visto em outra ótica. Pois, a solução para questões díficeis, como o trânsito de Monlevade,  por exemplo, nem sempre partem do óbvio.

Seja qual for o problema, é sempre bom encontrar alguém que o ajude a descobrir outra perspectiva da situação.

segunda-feira, 12 de março de 2012

Político ficha suja está fora das urnas e o Ficha "laranja"?

A aprovação da Lei da Ficha Limpa, sem sombra de dúvidas, foi um ganho enorme para a democracia brasileira, porém, ainda está longe de melhorar os costumes políticos do Brasil. Afinal, o sujeito não pode ser candidato mais pode ser ministro, secretário, assessor, chefe da repartição etc ou ainda pior “nomear um laranja” para fazer o serviço!

Todos sabem que a política é um jogo de interesses. Tanto que, existem partidos que estão realizando verdadeiras manobras, a fim de impor a participação de seus candidatos “fichas-sujas” amparada por recursos e liminares. Não há preocupação com a questão da qualidade de seus candidatos, o negócio é ganhar! E nessa premissa é oferecido ao eleitor, aquilo que lhes convém! Se houvesse um mínimo de responsabilidade dos partidos, esses candidatos jamais seriam oferecidos ao eleitor.
Desta forma, seria interessante lançar na mídia uma campanha de conscientização dos eleitores para com o fato de os candidatos “ficha suja” tentarem eleger a esposa ou filho em seu lugar para driblar a legislação.
A lei não pode proibir tal estratégia, mas a população precisa estar atenta para este tipo de manobra que certamente irá ser usada pelos partidos.


Uma lei de iniciativa popular, que conseguiu o apoio de mais de um milhão e meio de eleitores não pode ser burlada. Já demos um passo! Que venha agora, a reforma política.

sexta-feira, 9 de março de 2012

Falta de responsabilidade aliada à falta de fiscalização e punição!

Em relação ao trânsito, em  Monlevade a gente vê de tudo... 
Em um final de semana destes, deparei-me com uma situação  bastante inusitada em nossa cidade!( para não dizer pavorosa)
Será que estamos sofrendo influências dos asiáticos (Apesar da venda de carros na China bater sucessivos recordes, a maior parte do país e do continente asiático ainda usa motos e bicicletas para as mais variadas atividades. De carga, principalmente) ou os condutores perderam totalmente a noção do perigo?





quinta-feira, 8 de março de 2012

A novela "Buraco da Rodrigues Alves" caminha para o fim!

  
 



Tudo indica que , a novela do Buraco na Av Rodrigues, que tanto esquentou  a telinha do Cutucadas, caminha para um "final feliz"!
Desde ontem, homens trabalham no local; e também na Rua Joana Dark tapando os buracos.


O Conciliador, do Fantástico, agora também em Monlevade

Realidade Feminina!

Somos apenas mulheres. Todos os dias.

A mulher brasileira é grande protagonista na reforma da vida política e social, pois ela representa hoje, mais da metade da população do nosso país. Entretanto, ainda há muitos desafios a serem enfrentados.

Embora tenha conseguido alcançar grandes patamares em todos os seus aspectos como profissional, educacional, familiar, nem todos os direitos lhes são assegurados. A mulher ainda precisa ultrapassar o patamar de subserviência, afinal, a atuação da mulher sempre foi árdua em todos os sentidos, a começar como dona de casa, as famigeradas donas do lar, até a mulher trabalhadora no mercado de trabalho comum que busca a sua emancipação, submetendo-se a um salário bem inferior ao mínimo estipulado por Lei.

É grande o número de mulheres que estão distantes de um emprego formal. É impressionante o número de mulheres que, por imposições  socioculturais, encontram-se impossibilitadas de exercer uma função remunerada que poderia ajudar a melhorar o padrão de sua família. Imenso também é o número de mulheres que, por  não  terem acesso à educação, são obrigadas a exercer as funções mais humildes e pior remuneradas das suas comunidades.
É este o ônus de quem quer avançar nos espaços que devem estar abertos para que todos os seres humanos sejam iguais na Lei e na prática.

Mas vamos continuar subindo degrau por degrau...
Parabéns à todas mulheres!




quarta-feira, 7 de março de 2012

Eternos bonecos de corda!

Vamos apoiar quem o fulano mandar! Fulano mandou a gente vota! Estamos com fulano, aonde ele apontar nós vamos!...
Todo ano eleitoral a história se repete: Alguns "senhores" abrem o alçapão, tiram cá para fora aqueles de que necessitam, tiram-lhes o pó, dão-lhes corda e eles começam a saltitar para onde são mandados. Estes "pobres" bonecos fazem o "espetáculo armado" e logo que termina a cena, são empurrados novamente para o buraco. E depois ninguém mais os vê ou ouve falar deles. (Diga-se de passagem, para a sociedade é menos nocivo um boneco de corda num buraco, que dentro de uma administração... ).

O curioso é que estas pessoas não importam em serem bonecos, parecem limitadas nos quesitos dignidade e inteligência. Obedecem ao seu "mandante” sem nada questionar, mesmo que para tal, tenham que atestar a incompetência!
Os bonecos de fato são "o sonho de consumo" de qualquer político oportunista. Mas existem alguns que estão prestes a fugir, a exemplos de outros tantos que aprenderam a dar corda a eles próprios, para a tristeza de “seus senhores”, e agora já ninguém os consegue agarrar.